domingo, 14 de fevereiro de 2016

Resenha: CORAÇÃO DE VIDRO (José Mauro de Vasconcelos)

Li Coração de Vidro quando criança, por volta dos 9 anos de idade e me lembro nitidamente do quanto esse livro me tocou na época. Com histórias simples e bastante tocantes, a obra fala sobre temas universais na vida de todos nós. 




O livro contém quatro pequenas historinhas, e todas elas se passam numa fazenda. Essas histórias são narradas em primeira pessoa, mostrando a perspectiva e os sentimentos de quatro personagens:  um pássaro azulão, um peixe vermelho, um cavalo dourado e uma mangueira-moça. 
Veja uma pequena sinopse de cada historinha:

* História nº 1: A missa do Sol
O conto relata a trajetória de um passarinho azul que foi tirado de seu habitat natural e preso numa gaiola. Os sentimentos de impotência, solidão e tédio são descritos de maneira muito sensível e melancólica.

* História nº 2: O Aquário
Clóvis, um peixe vermelho bastante vaidoso e esnobe, é tirado do açude da fazenda e levado para uma loja de animais de estimação. Incomoda-se com o ambiente e com os novos colegas, até que é comprado por uma mulher rica e tem seu próprio aquário. Entretanto, ele percebe que a solidão pode ser pior do que o desconforto material e físico.

* História nº 3: O cavalo de ouro
Saturno, um cavalo dourado extremamente elegante e bonito, é levado do convívio da família para ser treinado como cavalo de corrida. Desafortunadamente, sofre um pequeno acidente e é colocado de lado porque não pode mais correr. Esse conto mostra claramente o quanto as pessoas valorizam as outras enquanto delas podem tirar algum benefício e/ou vantagem, e como se tornam insensíveis e ingratas quando não precisam mais do outro.

* História nº 4: A Árvore
Dona Candoca é uma frondosa mangueira-moça que vive no fundo do pátio da fazenda. Tem uma vida tranquila e é a melhor amiga do "príncipe", um garotinho de quatro anos que todos os dias conta-lhe todas as suas aventuras e emoções. Porém, um dia o menino cresce e vai embora. A história mostra como podemos, sem querer, valorizar pessoas que não nos dão valor algum.

Temos algumas temáticas comuns aos quatro contos, como:
- A valorização da liberdade;
- Saudade e nostalgia;
- A questão da solidão a que todos estamos expostos;
- O respeito aos animais como seres que possuem sentimentos, consciência e inteligência;
- A preservação da natureza e do meio ambiente;
- Os efeitos nocivos da intervenção do homem no habitat natural dos animais e das plantas.

Certamente, é um livro muito adequado para despertar sentimentos de empatia nas crianças, pois o autor deixa bem claro, em várias passagens, o quanto a intromissão humana pode ser nefasta na natureza. Além disso, vendo o mundo através dos olhos de um bichinho ou de uma árvore, o jovem leitor pode criar valores positivos e respeitosos em relação a todos os seres vivos. Super indico!

Veja a resenha em vídeo:


Um comentário:

Altevir Esteves disse...

Li esse livrinho quando contava 15 anos. Hoje tenho 57. Por conta dele jamais aceitei engaiolar um pássaro. Sem prejuízo das demais histórias, A primeira a tenho na memória como um tesouro.